8 coisas que não se devem dizer a uma grávida

27 junho, 2017


É sempre um drama! Quando não estamos, ou nunca estivemos, grávidas, qualquer pergunta parece inofensiva e é sinónimo de preocupação ou curiosidade genuína relativamente ao estado de graça da outra pessoa. Mas tudo muda quando as grávidas somos nós. Culpem as hormonas, o calor, o que seja, mas a sensibilidade de uma grávida é capaz de tirar qualquer um do sério, até a própria.

Há então uma série de perguntas que não se deve fazer a uma grávida e temo que depois de lerem esta lista a próxima vez que vejam alguém de barriga não vos dê vontade de querer saber o que quer que seja.

 “Tens a certeza que não são gémeos?”

Boa maneira de me dizeres que pareço demasiado gorda mas 7 meses e umas quantas ecografias depois? Tenho a certeza, sim.

 “Como é que se vai chamar?”

Eu digo “Eusébio” e depois os risinhos contidos dão lugar ao silêncio constrangedor quando a outra pessoa percebe que não estou a gozar. Vá lá, gente. Quando perguntam o nome de um bebé nós não respondemos à espera de aprovação, e não é suposto não dizerem nada depois. Nem que seja “não gosto muito”. A sério.

 “Não tens barriga nenhuma”

Já sei, isto é um elogio porque “não tens barriga nenhuma” pode ser sinónimo de que vais recuperar rapidamente depois do parto… MAS também pode ser porque aquela pessoa acha que o teu bebé está muito pequenino e depois vais ao Google e pesquisas barrigas pequenas e entras em pânico 200 vezes até perceberes que o tamanho da barriga NADA TEM A VER com o tamanho do bebé. Ufa!

 “Agora tens que comer por dois, não é?”

Não, não é. Tenho só que comer aproximadamente mais 300g do que aquilo que comia, de preferência de maneira saudável.

 “Posso por a mão na barriga?”

Podes. Na minha. Na das outras grávidas não sei, é melhor perguntares primeiro. Sempre!

 “Podes fazê-lo mexer para eu sentir?”

Não, isto não é um braço.

“Vais ter parto normal ou cesariana?”

Não depende só de mim, sabes? A única coisa que sei é que me estou a preparar para aquilo que faz parte da minha natureza enquanto mulher grávida: dar à luz. Se o fizer sem precisar de recorrer à cirurgia, melhor ainda.

 “Tanto exercício físico não faz mal para o bebé?”

Eu já não sei se as pessoas acreditam mesmo nisto ou estão só a ser inconvenientes. As grávidas DEVEM fazer exercício físico, manter-se ativas e preparar o corpo para aquele que vai ser o exercício mais intensivo da sua vida, o parto! Claro que uma mulher que não treine, não deve começar a fazê-lo que nem uma louca só porque está grávida mas, como em tudo, pode e deve fazer-se uma adaptação. Se não existe nenhuma contra-indicação médica relativamente ao exercício, qualquer grávida vai beneficiar física e mentalmente com a atividade. Para grávidas saudáveis não há desculpas (embora a falta de energia seja aquela que eu tento usar algumas vezes. Ihih).

Nota: Na verdade podem perguntar-me tudo o que quiserem, que não me importo. Prometo até responder à altura :D