Igualdade de género, Oprah Winfrey e a Realidade

11 janeiro, 2018


Já vestiram preto hoje? É essa a cor de um statement, um hashtag, um movimento, um domingo à noite de Globos de Ouro. Tão bom! A semana ficou marcada não pelos filmes e séries premiados mas claramente pelo discurso de Oprah Winfrey. A mesma Oprah, estrela de televisão, meio amada, meio odiada, que muitos já dizem estar a preparar a corrida à Presidência dos Estados Unidos, para 2020. Ela talvez vá por aí mas eu não quero ir. Para mim este discurso, mesmo que feito com intuitos presidenciais,  tem dentro dele bem mais do que isso. É comovente, atual, e prolífero em quotes inspiradoras para descrições de fotos de instagram.

 “what I know for sure is that speaking your truth is the most powerful tool we all have.” 

São essas verdades, o que fazemos de autêntico e o que verdadeiramente somos que, quando partilhadas podem mudar mentalidades…ou abaná-las um bocadinho, vá. Obrigada Oprah. És a prova de que a lógica, a prática, a força, a capacidade de decisão sobre o seu corpo e a sua ação no mundo, são características tão femininas como a sensibilidade emocional ou o famoso sexto sentido. Valorizaste-nos a todas e fizeste-me pensar sobre igualdade de género e como devíamos abreviar o tema apenas para igualdade e pronto. Nós não somos todos iguais: um trabalhador esforçado merece ganhar mais que um preguiçoso. Um atleta que termina a corrida em último lugar não merece o mesmo troféu que o vencedor da competição. Pessoas atraentes têm mais pretendentes. Uns são ricos, outros são pobres. Bom, já perceberam. Isto não são injustiças, isto é a realidade! Não estou a tentar ser céptica ou mázinha mas acho mesmo que o discurso sobre a igualdade, de género ou do que seja, deve começar por esta consciência. Somos nós que temos que mudar, não é o mundo, esse será sempre cheio de dicotomias. Se não conseguirmos lidar com esta realidade, vamos continuar a ver o mundo como uma fantasia. Igualdade não pode significar mediocridade. Igualdade é luta para ficar do “lado bom” do mundo.  A Oprah conseguiu.