“Porque é que querem ter um filho?”

Curso de Preparação para o Parto - aula 1

16 maio, 2017


Confesso, sempre achei que os cursos de preparação para o parto eram uma grande treta onde ensinavam as mães a respirar, os pais a estar minimamente solidários e ambos a dar banho ao pequeno ser que aí vem. Não podia estar mais enganada. Ainda no topo da minha ignorância mas disposta a experimentar, decidi ir com o pai da criança à sessão de esclarecimento do centro Vou Nascer. Felizmente a minha ignorância não era daquelas teimosas e, ao fim de 5 minutos com a Enfª Sónia, percebi o quão errada estava e como a experiência do curso me ia, pelo menos, abrir horizontes e munir-me de informações válidas não só para o parto mas para todo o processo que é criar um ser humano.

Não há duas gravidezes iguais e, por isto, não há dois cursos pré-parto iguais ( se estão a fazer um igualzinho ao da vossa melhor amiga grávida, então algo não está certo!) No Vou Nascer é o casal que escolhe o seu percurso formativo em função das suas necessidades - seja porque são vegetarianos e querem que o filho também seja, porque são aventureiros e vão querer viajar com a criança ao fim de dois meses, porque querem parto natural sem recurso a drogas e afins, porque são felizes desta forma e não daquela, não importa. Um curso pré parto com flexibilidade horária e temática e com a possibilidade de formação ao domicílio é mesmo um curso que está a pedir para ser feito.

Lá fomos nós oficialmente para a primeira aula, “O Despertar da Consciência”. Porque é que querem ter um filho?, foi a primeira pergunta que a Enfª Sónia nos fez, eu respondi que era o melhor legado que podia dar à humanidade, o pai pensou de forma mais romântica e falou no filho como uma extensão natural e sentida do amor do casal ( deve ter sido só para me impressionar ahah).

Foi nesta primeira aula que me apercebi que estava numa missão maior, a de criar um ser humano de raiz, único e com a possibilidade de vir a mudar o mundo ou, pelo menos, a contribuir positivamente para a sua evolução. Nós, pais e mães, temos uma varinha de condão. Nós temos o poder de direcionar os nossos filhos para a experiência, seja  a primeira vez que aquele ser vai ver o mar, seja a primeira vez que contacta com um animal de estimação, seja até o primeiro ralhete de todos que o vai fazer distinguir entre o certo e o errado. À nossa maneira. À nossa responsabilidade. Isto é assustador e maravilhoso ao mesmo tempo. Juro que sou uma pessoa mais calma desde que estou grávida e tenho a certeza que é porque relativizo muito mais os problemas, afinal, estou numa missão maior, não se metam comigo ;)

Outras coisas giras que aprendemos na primeira aula:

  • o bebé vê o mundo através dos nossos olhos e só não vai experienciar o mundo connosco se nós não estivermos presentes. Queremos isso?
  • A partir das 24 semanas na barriga da mãe, todos os sentidos do bebé já funcionam. Por exemplo, se o bebé apanhar luz solar, ele vai habituar-se a diferentes tonalidades in utero e tem maior probabilidade de nascer sem problemas de visão.
  • Se a mãe apanhar uma seca a ouvir música clássica o bebé não vai adorar musica clássica, porque ele absorve o estímulo através da experiência da mãe. Se a mãe adora dançar ao som de Justin Bieber enquanto come manga, aí já é provável que o bebé desenvolva um gosto similar, coitado.
  • Pensem em gostos estranhos ou inexplicáveis que tenham e depois questionem a vossa mãe sobre eles. É possível que os hábitos da vossa mãe durante a gravidez tenham influência nessas predileções.

A nossa próxima aula será já este sábado. Vamos para a piscina conhecer o meio natural do bebé. A água também vai ajudar a melhorar a circulação sanguínea e a oxigenação do meu bebé :) Conto tudo depois mas agora quero ouvir as vossas experiências. Cursos pré-parto, quem fez? O que aprenderam? Foi útil?